Notícias

Augustha já conquistou Bollywood, agora quer um lugar na Farfetch

Monday, March 29, 2021
Fabricados à mão em Oliveira de Azeméis, os sapatos desta marca de luxo estão a brilhar entre as estrelas do cinema indiano.
Augustha já conquistou Bollywood, agora quer um lugar na Farfetch

Apesar de recém-criada, a Augustha, marca de calçado de luxo para senhora, já conquistou fãs entre as celebridades do mundo do cinema em Bollywood. Mas Mónica Amaral, responsável do projeto, tem grandes sonhos. Quer chegar ao Dubai e a outros países com elevado poder de compra, e às plataformas de comércio eletrónico globais, como a Farfetch, MyTheresa ou Net-a-Porter. Um dia, quem sabe, espera ter lojas próprias da Augustha nas principais capitais do mundo.

Natural de Viana do Castelo, Mónica licenciou-se em Economia e fez o mestrado em Marketing e Estratégia, em Braga, e foi da paixão pela cidade que nasceu a designação da sua marca de calçado, em homenagem ao nome romano Bracara Augusta. E permitiu aliar outra paixão, a dos sapatos, que vem desde a mais tenra idade. "Não consigo deitar um único par fora, mesmo que já estejam velhinhos", admite. Sem qualquer formação na área, ou tradição familiar no setor, Mónica Amaral teve de "aprender tudo do zero, literalmente", diz. Mas teve a sorte de conhecer um jovem designer, "extremamente competente e talentoso", que a tem ajudado a passar para papel as suas ideias.

Os sapatos, à venda na boutique online da Augustha, com preços que vão dos 475 aos 595 euros, são produzidos à mão em Oliveira de Azeméis, "numa das melhores fábricas" de calçado em Portugal. "Os sapatos têm de ser imaculados, confortáveis, feitos com materiais de extrema qualidade", explica, reconhecendo que levou "algum tempo" a encontrar uma fábrica que "satisfizesse os parâmetros da marca", mas finalmente encontrou uma à altura.

Quanto ao target em que se situa no luxo, a jovem empresária reconhece que é "extremamente complicado" posicionar uma jovem marca num segmento tão exigente. "Sei que escolhi um segmento muito difícil de trabalhar, mas é o que me cativa. Pode demorar um pouco mais a afirmar a marca no mercado, mas a resiliência faz parte da minha essência, sei que chegarei lá", garante.

Ver artigo completo do Dinheiro Vivo AQUI.

260

Voltar