Notícias

Sapatos importados da China alteram estatísticas

Thursday, July 30, 2015
Sapatos importados da China alteram estatísticas

Uma série de operações "estranhas" de exportação de calçado, oriundo da China, e que Portugal vendeu depois para Espanha e Itália, obrigou a Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS) a reajustar os dados das exportações do calçado em 2014, retirando-lhes 10 milhões de pares de sapatos, no valor de 18 milhões de euros. De acordo com os novos dados, a que o Dinheiro Vivo teve acesso, as empresas portuguesas de calçado produziram e exportaram, afinal, "apenas" 77 milhões de pares de sapatos, no valor global de 1845 milhões de euros.

E o que levou à suspeita? Os preços médios destes sapatos, de material sintético e têxtil, eram da ordem de 1,82 euros e, em alguns casos, ficavam-se pelos 77 cêntimos o par. "Por esses preços não é possível produzir em Portugal. Esse valor não dá nem para pagar a palmilha", sublinha João Maia, diretor executivo da APICCAPS.

Além do preço médio extraordinariamente baixo, o que fez despertar a curiosidade para estas operações foi o facto de serem oriundas de quatro concelhos com pouca, ou mesmo nenhuma, tradição na indústria do calçado, como Guarda e Mafra, além de Lisboa e Porto. "Os dados que o INE fornece indicam-nos as exportações por tipo de calçado e concelho de origem. E dão-nos também a lista dos principais exportadores por concelho. Cruzadas as informações, detetamos a existência de uma série de empresas muito recentes, com não mais do que dois ou três anos de atividade - algumas delas até já encerraram a atividade - e que usavam Portugal como mero porto de transhipment nas suas operações de importação da China e de reexportação para Espanha e Itália. E, embora não saibamos quem são os proprietários, sabemos que os gerentes são todos estrangeiros, designadamente chineses e espanhóis".

João Maia destaca que o calçado importado da China tem, habitualmente, um preço médio muito baixo, mas não tão baixo. "Estamos a falar de calçado sintético e calçado têxtil, ou seja em plástico e em tecido, cujo preço médio habitual, sendo oriundo da China, ronda os seis ou sete euros por par. Claramente, é calçado subfaturado e admitimos que as autoridades aduaneiras tenham identificado o problema porque nada indica que a situação se esteja a repetir este ano", diz João Maia.

A decisão de eliminar estas operações dos valores das exportações visa evitar deturpações nos números reais da produção e exportação da indústria portuguesa, defendendo a sua imagem. "A APICCAPS assume que pretende ser a referência internacional da indústria de calçado, pela sofisticação e pela criatividade. Essa estratégia passa pelo reforço das exportações portuguesas, alicerçadas numa base produtiva nacional, sustentável e altamente competitiva, fundada no conhecimento e na inovação".

O reajuste nos dados totais das exportações de 2014, faz com que o preço médio de exportação do calçado português também sofra uma alteração, passando de 21,43 euros para 24 euros por par. Um valor que permite aos sapatos portugueses terem o segundo maior preço médio do mundo, a seguir ao italiano.


Esta semana, a APICCAPS apresenta, feira de calçado GDS, em Dusseldorf, na Alemanha, mais uma edição do World Footwear Yearbook, documento que não apenas analisa a realidade do calçado a nível mundial, mas também se dedica a escalpelizar a evolução país a país. E aí ficamos a saber que "Portugal assegurou, de novo, o segundo maior preço médio de exportação a nível internacional" - 31,88 dólares por par -, sendo que "a forte especialização do país na produção e exportação de calçado de couro (segmento que representa 80% dos sapatos portugueses) foi determinante para este resultado".

O World Footwear Yearbook 2015 dá ainda a saber que só Itália "revela um desempenho melhor" do que o português (preço médio na ordem dos 50 dólares) e que Espanha, outro grande concorrente internacional, "permanece a grande distância (22,03 dólares o par). Por fim, a China, que assegura 65% da produção mundial de calçado, tem um preço médio de exportação que não vai além dos 4,44 dólares o par.

Fonte: Dinheiro Vivo, 27.jul.2015

2808

Voltar